______________

Osasco (SP) - Acolhimento da População Vulnerável

Contextualização

Pessoas vivendo nas ruas infelizmente é uma realidade de muitas grandes cidades brasileiras, como Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, e a epidemia causada pelo novo coronavírus agravou os riscos que essa parcela mais vulnerável da população enfrenta, em razão da maior exposição ao contato com pessoas infectadas, das dificuldades práticas em manter hábitos de higiene e da nutrição insuficiente ou inadequada, que prejudica a imunidade do organismo.

A proximidade do inverno no Sudeste e Sul do país também aumenta os riscos de doenças respiratórias graves por parte das pessoas que vivem em situação de rua, por estarem mais expostas às baixas temperaturas. Considerando esse contexto e o agravamento da epidemia da Covid-19, a Prefeitura do Município de Osasco começou já em março de 2020 a implementar ações de atenção especial e prevenção da doença neste grupo da população que é dos mais vulneráveis na cidade.

Solução

Para complementar e reforçar os serviços de assistência à população de rua já existentes no município, no fim de março de 2020 a Secretaria Municipal de Assistência Social de Osasco abriu um novo Centro de Acolhimento exclusivo para atender as pessoas em situação de rua que apresentem sintomas leves da doença e que precisem cumprir quarentena por conta do novo coronavírus. O espaço conta com camas, sala de recreação, banheiros, chuveiros e alimentação e atendimento médico realizado pela equipe do Consultório na Rua, que conta com 12 profissionais, sendo enfermeira, terapeuta ocupacional e agentes comunitários de saúde.

Para ampliar o acolhimento de pessoas em situação de rua no contexto da crise causada pela epidemia, a Prefeitura também firmou no início de maio de 2020 contrato com o Hotel Íbis na cidade, que pode receber até 30 pessoas. Elas têm direito a café da manhã, almoço e jantar. Embora pioneira na Grande São Paulo, a iniciativa também foi realizada em outras cidades brasileiras como Cuiabá, Salvador, Niterói e também no exterior como Londres e Praga. A decisão pela contratação de vagas em hotel considerou a possibilidade de esgotamento de vagas nos serviços de acolhimento, na necessidade de realização de distanciamento social com a redução da quantidade de pessoas por dormitório e eliminação de espaços de uso coletivo, e ainda na garantia de segurança alimentar, acesso à água potável e condições adequadas para a higienização. Para atuar no hotel foi designada uma equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social com quatro educadores sociais, três assistentes sociais e um psicólogo, que atua por 12 horas de segunda a sexta-feira.

Essas ações foram reforçadas com a disponibilização de um espaço da Secretaria de Esporte, Recreação e Lazer na região central da cidade, onde as pessoas em situação de rua podem tomar banho, trocar de roupas e calçados. No local, eles também têm acesso a tíquetes que dão direito às refeições no restaurante popular do Programa Bom Prato, mantido pelo Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura de Osasco.

Resultados

Com essas ações, em meados de junho de 2020 a Prefeitura de Osasco oferecia 30 vagas para pessoas em situação de rua no hotel Íbis, mais 130 vagas nos albergues municipais e outras 10 vagas emergenciais para resguardo de pessoas em situação de rua com sintomas da Covid-19, que contam com serviço de higienização destes moradores dentro das normas da Organização Mundial de Saúde.

Embora a epidemia de Covid-19 já tenha contaminado mais de 5.300 moradores de Osasco entre março e junho de 2020, causando a morte de mais de 400 pessoas, felizmente nenhuma pessoa em situação de rua na cidade foi vitimada pelo novo coronavírus ao longo dos três meses de epidemia na cidade. Foram registrados apenas três pessoas em situação de rua suspeitas de contaminação por coronavírus, mas nenhum delas se confirmou. Essas pessoas, inclusive, utilizaram o espaço criado para o resguardo, ficando lá em isolamento durante alguns dias até os resultados dos exames apresentarem negativos para a Covid-19.

Enviado por: João Francisco Resende, Diretor de planejamento estratégico, Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão

Contato: [email protected]

Realização

_________